Desenvolvimento Infantil

Neste contexto, o foco da intervenção em musicoterapia varia de acordo com as necessidades identificadas e os objetivos estabelecidos, tendo como fim último o desenvolvimento saudável da criança. 

De modo geral, existem alguns critério que nos permitem perceber se uma criança precisa de acompanhamento terapêutico. Em particular, se há excesso ou deficit de determinados comportamentos esperados, se há infracção recorrente às normas ou desafio constante à autoridade, se há um atraso ao nível do desenvolvimento global, ou se existem dificuldades ao nível do funcionamento adaptativo.

Alguns dos sintomas que evidenciam a necessidade de um acompanhamento terapêutico são

  • Agressividade;
  • Hostilidade;
  • Desânimo;
  • Problemas em se relacionar;
  • Birra constante;
  • Dificuldades em aprender;
  • Não consegue defender-se;
  • Fica ansiosa demais;
  • Tem medo excessivo em deixar os pais, ou em dormir ou ir à escola;
  • Fala muito sobre morte;
  • Conecta-se com personagens agressivos, que matam, que são vilões; não respeita regras, dita e muda regras dos jogos para benefício próprio;
  • Não se importa com os outros;
  • Comportamentos de cariz sexual, como linguagem e gestos sexualizados;
  • Não consegue fazer uso da imaginação ao brincar;
  • Come muito ou come pouco demais;
  • Está abaixo ou acima do peso;
  • É desleixado com os materiais e brinquedos ou é organizado demais;
  • Dorme com a luz acesa;
  • Faz xixi na cama com frequência;
  • Adoece com frequência;
  • Falta de concentração.

MÉTODOS

Os métodos e materiais utilizados são: a voz, o corpo, instrumentos musicais de fácil manejo e execução, materiais lúdicos-educativos e, ocasionalmente, aparelho de som e músicas específicas.

Os processos individuais possibilitam um melhor conhecimento da criança ou do jovem, o estabelecimento de uma relação terapêutica mais personalizada e uma aplicação mais precisa às suas necessidades.

Os processos grupais possibilitam o aprofundamento do autoconhecimento da criança ou adolescente, mudanças no afeto, cognição e comportamentos, estimulando igualmente a socialização.

No caso do trabalho em grupo, os grupos são formados de acordo com as competências, idade mental e cronológica, afinidade de gostos musicais e aspectos culturais (quando possível).